Simplesmente Ciana: No balançar da felicidade

No balançar da felicidade


Todos os dias no finalzinho da tarde a cena era a mesma: Maria e sua cadeira de balanço. Mesmo caminhando com dificuldade, com o auxílio de sua bengala, era sempre assim, lia o seu jornal e depois ficava a balançar.

Clara sentava aos seus pés, e ficava horas e horas com sua querida avó. Fazia-lhe companhia, ouvia suas histórias e lhe ajudava a levantar para se recolher pois a mesma dormia cedo, fora que chegava uma hora que o vento lhe incomodava, sentia medo de um golpe de ar.

Clara era a neta mais próxima, pois os outros netos moravam na capital, só iam para o interior na época do natal. Os outros tinham até um pouco de ciúme, tudo era Maria e Clara, Clara e Maria assim diziam. Na verdade, quem é criado pelos avós sempre tem um doce a mais nos lábios, um carinho que todos percebem e se nota de longe. A cumplicidade que existia entre as duas era grande, passavam muito tempo juntas. 

Clara além de ouvir, falava muito, observava as rugas da avó e seu estado de saúde, e de vez em quando lhe fazia umas perguntas, coisas de criança. Muitas tardes de sorrisos e aventuras entre as duas. Maria e Clara, Clara e Maria.

Certa vez lhe perguntou, porque tantas marquinhas no rosto e nas mãos, ela não sabia que as tais marcas se chamavam rugas. E Maria na sua doçura lhe disse que eram as marcas da vida, que um dia também as teria. 

Outra vez lhe perguntou porque sorria tanto, mesmo reclamando as vezes das dores no joelho, e das letras do jornal que vivia dizendo que pareciam cada dia mais pequeninas. E Maria como sempre parecia ter sempre uma resposta para sanar as dúvidas. O minha Clara, a vozinha já está velhinha, minhas dores são da idade, meus ossos já estão fracos, isso é normal, mas a vozinha sorri, pois, está em sua companhia e ainda continua a balançar.

E Clara, insistente pergunta: 
_ Vó a senhora é feliz? 
_ Sim eu sou. Eu tenho você Clara, e ainda balanço. Eu leio o jornal, observo o que está ao meu redor, vejo o céu, o sol e a chuva. Eu escuto o som dos pássaros. Felicidade maior que essa minha querida Clara, não há.

O tempo foi passando e a saúde de Maria foi se agravando, os óculos já não lhe serviam mais, e ela continuava a balançar, porém Clara agora lia o seu jornal. Clara novamente fez a mesma pergunta, se ainda assim a vó era feliz.

E Maria respondeu que sim. Por que não haveria de ser? Eu continuo sentindo o sol, a chuva, escutando os pássaros... O que hoje eu não posso ver, você clareia. Eu tenho você Clara, e ainda balanço. Felicidade maior que essa minha querida Clara, não há.








Desafio 1 - Escreva um conto cujo tema seja "Felicidade"




Comentários do facebook
30 Comentários do Blogger

30 comentários:

  1. Aii que lindo Ci,me emocionei,hoje em dias as crianças não dão muito valor para os avós,mas eles são pessoas muito importantes em nossas vidas,e eu,que graças a Deus ainda tenho a bisa,faço-lhe companhia e pergunto coisas sobre sua vida no campo,sua vida e coisas dos dias atuais.
    Amei <3
    Beijos ^.^

    ResponderExcluir
  2. É o meu primeiro conto, nunca escrevi contos, só os textos e minhas poesias. Confesso que estava super insegura, mas fico feliz que consegui emocionar, tenho muito o que aprender ainda, mas acho que estou no caminho certo né.
    Pois é, avós são tudo, tenho a minha ainda que está com 86 anos, não conheci minha bisa pois faleceu muito jovem, e deixou minha vó aos 9 anos.
    Que bom que você tem essa visão e esse carinho todo.Obrigada! bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá Ci, tudo bem?
    Tudo o que posso dizer no momento é que me emocionei lendo ao seu texto. ♥
    Apesar de não conversar muito com a minha avó, eu a amo. Ela sempre tem ouvidos atentos para me ouvir e de vez em quando me dá um conselho quando preciso de ajuda.
    Parabéns pela excelente escrita!
    Beijos :*

    http://midnight-skies.esy.es

    ResponderExcluir
  4. Tudo bem sim Gaby! Espero que você também esteja. Eu tenho uma ligação muito forte com pessoas mais velhas, e avós ahhh são na maioria das vezes uma fofura.
    Conselho de vó é sempre para o nosso bem. Obrigada pela visita. bjs

    ResponderExcluir
  5. Meus olhos se encheram de lágrimas... Não fui criada pela minha vó mas passei quase todas as férias escolares que tive na casa dela com meu avô também. Teu conto me trouxe tantas lembranças que não consigo conter as lágrimas. Que saudade me deu agora... Sabe a coincidência? Ela teria feito aniversário dia 28, um dia antes de tu postar. Amei!!!
    E só a título de curiosidade, meus filhos tem 3 bisas! Hahahaha

    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Taís, um conto com o tema felicidade mas que emocionou e levou as lágrimas, isso é muito gratificante. Obrigada pelo carinho! Nossa 3 bisas? Que sorte! bjs

      Excluir
  6. Que conto lindoo!! Tenho que admitir que me emocionei. Parabéns ^^
    Bjss <3

    www.lekamundi.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Que lindo! Lembrei da minha bisavó que já faleceu.

    Me chama de Bella

    ResponderExcluir
  8. Que emocionante e perfeito. Me veio a falta da minha avó que se foi quando eu era muito pequena. Não tive tempo de aproveitar porque a saúde já estava debilitada. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto muito Valéria, a convivência com avós é algo assim muito especial e marcante. Obrigada! bj

      Excluir
  9. Nossa, que texto lindo... Nunca fui muito próxima das minhas avós, mais é perceptível o carinha maior disposto para aqueles ue estão ali, mais aconchegados as suas asas. Digo isso ao ver a relação da minha mãe e dos netos mais próximos...

    www.viciosdevaneios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Essa relação nem sempre acontece, mas quando ocorre é maravilhoso de se ver, de se sentir. Obrigada Nilzete! bj

    ResponderExcluir
  11. Que lindo!!!
    Meu Deus, muito emocionante, você é uma escritora, tem que criar um livro haha
    Esse texto não são só palavras, nesse texto você colocou vida e emoção, ele toca bem no fundo.
    Parabéns, que Deus te abencoe.

    vidadecristao1.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Obrigada linda! Quem sabe um dia escrevo um livro de contos e poesias... Seria um sonho. Fica com Deus! bjs

    ResponderExcluir
  13. Que lindeza de texto!
    Tanta delicadeza e doçura... amei, de verdade!
    Beijos!
    A Menina da Janela

    ResponderExcluir
  14. Você escreve EXTREMAMENTE BEM! Esse texto me emocionou, me vieram muitas lembranças da minha avó, que não mora aqui. Mas, a gente sempre tenta ir vê-la! Graças a Deus, com ela está tudo bem. Minha outra avó, mora ao lado da nossa casa, e eu sempre vou lá falar com ela. Perguntar se está precisando de algo...
    Beijoos, <3
    http://eaigirlblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que consegui te emocionar,fico feliz que gostou. Obrigada! bjs

      Excluir
  15. Que texto lindo! Tão bom vivenciar algo com pessoas de mais idade, que tem sempre algo valioso a nos ensinar, e sendo amor de vó e de vô então, nem se fala <3
    Beijos

    www.juhlihipy.com

    ResponderExcluir
  16. Nossa, que lindo! Me emocionei porque fui criada pela minha vó, e tenho um amor enorme por ela, mas daqueles que só de pensar em ver ela doentinha eu já choro muito kk. Graças a Deus ela não mora longe, sendo assim posso ir encher ela de beijos sempre.
    Parabéns pelo lindo texto, você tem muito talento para isso.

    beijos,
    nayarabenicio.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também fui criada pela a minha vó, talvez seja por isso que consegui escrever esse texto desta forma e emocionar as pessoas. Muito obrigada Nayara! bjs

      Excluir
  17. Eu acho textos assim tão lindos <3
    Sua crônica me fez lembrar de um livro que eu tinha no quinto ano. Nele eu encontrava vários contos desse jeitinho: pequenos, mas que deixavam uma lição no final :0 naquela época eu não entendi muito bem. Agora eu entendo (momento nostalgia).
    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O conto é pequeno mesmo, eu queria escrever um conto que tocasse no coração das pessoas e que não fosse cansativo de ler. Contos em blog eu não acho que vale a pena publicar com muitas páginas, em livros sim, mas na net acho que não é legal.
      bj

      Excluir
  18. Que lindo!
    Lembro de quando fazia perguntas semelhantes para a minha vó, e ela sempre dizia: Sou feliz minha filha, tive 13 filhos que me amam, tantos netos que nem consigo contar, meus bixinhos no quintal, são coisas simples mas que me trazem muita alegria...
    Me emocionei, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Essa relação quando acontece de fato é linda mesmo e merecia um conto né? bjs

      Excluir
  19. Que texto mais lindo. Meus avós são tudo pra mim, nem chamo me avós kkk chamo de mãe e pai. Graças a deus por aqui todos os netos são mais que carinhosos com eles ♡ e eles são mais ativos que nós kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho proximidade com minha avó materna, por vezes a chamava de mãe. Sempre foi minha mãe vó. Obrigada! bjs

      Excluir



Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *