Simplesmente Ciana: Flashback

Flashback


Hoje caminhando pela rua deparei-me com um grupo de adolescentes, todos uniformizados, naquela algazarra, creio que haviam acabado de sair da escola, tamanha a animação. Dentre eles avistei um casal mais destacado dos demais que me chamou atenção, entre risadas e empurrões em volta, eram os únicos que estavam de mãos dadas.
 
Sabe aqueles dias que pensamos demais? As vezes pensamos nos problemas do dia a dia, outras na incerteza do futuro, e tem aqueles dias que pensamos no passado.  Sim, mas esse meu passado foi tipo sessão “flasback”. Lembrei de minha juventude, aquela época da explosão de hormônios e a descoberta do amor.

Fase sem preocupações de contas para pagar, onde tudo era estudar e passar, e sobrava tempo para amar. Até rimou! É a veia poética do amor... Tudo era tão mágico e perfeito, o céu era mais azul e as estrelas tinham mais brilho do que qualquer pedra preciosa.

Certamente que muitas das vezes tinham um papel de coadjuvante, a constelação estava lá no céu, mas os olhos estavam mais em outra direção do que nelas, e muitas vezes permaneciam fechados nos momentos que nos beijávamos. E que beijos...

Eram borboletas no estômago... Acho que entravam não sei por onde, toda vez que ele se aproximava. Sei que eram todas coloridas, as asas batiam tanto que tinha hora que eu não sabia mais se ia aguentar. Entre afagos e juras de amor, milhões de eu te amo e de te quero para sempre. 

Mas estás a pensar, ora, ora como pode. Sempre na juventude? Ah, mas sempre na juventude é “o momento”. Momento do coração palpitar, e não saber se o “tum, tum” é seu ou dele sabe. Ficamos numa cegueira, defeitos não há.

Ao longo da juventude tive alguns “Endless Love”, as sensações se repetiam entre corpos diferentes. A maturidade chegou e outros amores também, ainda sentia as borboletas, porém não tão coloridas. As asas já não batiam como antes, não sei se mais vagarosas, ou  já acomodadas.

Sabe de uma coisa, acho que a constelação passou a ser vista como protagonista. Que pena! Ainda sim, estou aguardando na ‘”coxia” quem sabe algum dia, apareça um amor de juventude  que me chame e eu entre em cena.



Ciana Andrade 







[Dia 6 de Abril] - WEDA 2016
Inspirado na música "
Boom clap" de Charli XCX





Comentários do facebook
14 Comentários do Blogger

14 comentários:

  1. Amor da adolescência... que saudade!
    Percebi em mim esse mesmo "cansaço" das borboletas... hahahaha
    Mas o texto ficou ótimo!

    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a vida amiga... Mas ainda prefiro borboletas cansadas do que ficar sem borboletas.rsrs bjs

      Excluir
  2. Que nostalgia!
    Adoro lembrar dessas coisas, mas dá uma dorzinha no peito de vez em quando... Pensar em tantas possibilidades, tantas coisas que deram errado (ou deram certo?) bate como um tapa na cara, daqueles de final de discussão, quando cê descobre que tava errada :P
    Mas não deixa de ser bom <3
    Parabéns pelo texto, é nostalgia pura :3
    Bjoo :**
    Nerd de Pijama

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre lembro, embora esse texto tenha sido inspirado numa música são lembranças de juventude mesmo, faz tempo que passei dessa fase.
      Obrigada Carol! bjs

      Excluir
  3. Belo texto!
    Bem, ainda estou na adolescencia e vivendo todas essas borboletas no estômago... a lua e constelações já são protagonistas pra mim desde pequena, mas sempre há espaço pra mais alguém - e até mesmo pra mim, porque não?
    Beijos!
    A Menina da Janela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então aproveita! rsrs Obrigada sua linda! bjs

      Excluir
  4. Ler isso me deu tanta alegria no coração sabe?to exatamente nessa fase e vi que tenho que aproveita porque depois só restam as borboletas, Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais que fofa!A vida é assim, é feita de fases mesmo, e temos que aproveitar. bjs

      Excluir
  5. Ah, não me faz lembrar dessa fase :( Passou tão rápido, e foi repleta de momentos únicos e simples, e ao mesmo tempo marcantes, que nunca pensei que fosse sentir tanta falta. Sinto falta dos amores da adolescência, mais precisamente da pureza e da sinceridade deles!
    Beijos

    www.juhlihipy.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo Ju, é bem assim. Mais é a vida...
      bjs

      Excluir
  6. Amor é amor e pra mim não tem idade, as os de adolescente marcam, acho que pela ingenuidade.


    Um beijo!

    www.cantinhob.com

    ResponderExcluir



Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *