Simplesmente Ciana: Meu tic-tac

Meu tic-tac


Muitas vezes eu desejei que o dia tivesse mais que 24 horas porque nunca consigo dar conta de tudo que preciso fazer. É tanta correria e sempre reclamo que nunca tenho tempo pra nada, parece até que os ponteiros são mais ligeiros nas horas que deveriam ser lentos e outras vezes andam como tartarugas quando deveriam chegar em primeiro lugar na corrida de fórmula 1. Confesso que não tenho uma relação muito amistosa com o relógio.

Me vejo perdida entre segundos, minutos, horas, enfim me vejo num labirinto e tendo meus passos cronometrados mas não consigo sair dele, nem de dia e nem de noite. Raramente uso algum relógio no pulso, embora eu ache um acessório lindo, eu tenho a sensação de estar usando uma pulseira controladora. Entretanto, não me livro do controle porque não sei viver sem o celular e por onde eu passo sempre tem algum pendurado na parede,  ele está na tela do computador e nos pulsos das pessoas. Então não tem por onde escapar, querendo ou não ele está por aí, seja fisicamente ou dentro da minha cabeça.

Sim dentro da minha cabeça! Tenho um tic-tac interno que mais parece TOC. Talvez seja pela ansiedade que me consome e que costuma querer dar uma volta no tal tempo.
 
Eu queria ter o poder de controlar o tempo mas como isso não é possível vou levando a vida do jeito que dá, com conquistas e frustrações. Tentando lidar com os efeitos da minha impotência quando estou deitada na minha cama ou vendo a vida passar pela vidraça embaçada. Os outros em movimento e eu ali estática, pensando, pensando.

Será que isso acontece só comigo? Tem mais alguém perdido por aí? Eu consigo me perder dentro do meu próprio quarto, fico rodeada de papéis. Sei várias fórmulas matemáticas porém nenhuma até hoje resolveu o meu problema. Nenhum gênio conseguiu criar uma fórmula para resolver o problema do tempo, ou melhor o meu problema.

A bagunça externa em que me encontro é apenas o reflexo da minha confusão interior. Eu vejo, os outros também veem o que está aqui fora, mas aqui do lado de dentro é tanta poeira e desordem. Até que um dia percebi que mesmo que o dia tivesse 48 ou 72 horas não ia adiantar. O problema não é o tempo e sim eu.

Resolvi parar, respirei fundo e larguei essa minha compulsão por culpas.Comecei a me deslocar mentalmente, não procurei motivos, procurei saídas. Algumas portas estavam trancadas, eu bati mas ninguém as abriu. Outras apenas virei a maçaneta e abri, e umas tinha algum sensor de movimento porque assim que me aproximei abriram sozinhas.

Assim fui mudando essa relação que por pouco não culmina em crime passional. De entre tapas e beijos, antes mais tapas para um namorico de idas e voltas. Não consigo fazer tudo ainda, provavelmente essa perfeição seja inatingível mas tenho aberto muitas portas, não fui pole position, nem sempre subo no podium mas já me molhei de champanhe por aí e sinto uns pingos na minha boca. Nunca foi importada, rola mais uma sidra para comemorar sabe.

Meus passos não possuem exatidão, ando dançando conforme a música, ora lenta, ora mais agitada. Sem pensar muito no amanhã exageradamente, e sim pensando no que eu posso fazer hoje para o meu dia ser melhor. Não me afundo em culpas, não olho a grama do vizinho e muito menos me preocupo com os julgamentos alheios.






Este post faz parte de um desafio de um grupo muito querido, o Café com Blog


Comentários do facebook
25 Comentários do Blogger

25 comentários:

  1. Adorei esse texto, a relação com o tempo não poderia ter sido melhor descrita. É sempre amor e ódio, ora muito rápido, ora muito lento. E, de um jeito ou de outro, somos nós que precisamos nos adequar aos passar dos seus ponteiros e conseguir nos libertar, dentro do possível na vida em sociedade, e controlar os nossos próprios ponteiros! <3
    xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Re! Vivo sempre tentando, é difícil mas eu já fui bem pior.rsrs
      Bjs

      Excluir
  2. Bem legal o seu texto.
    Me identifiquei bastante.
    As vezes tenho vontade que o dia tenha mais horas porque nem sempre dou conta de tudo que preciso.
    bjO e boa semana!

    Dany
    Blog Breshopping da Dany
    Conheça também o Breshopping da Dany KIDS

    ResponderExcluir
  3. Muitas vezes a gente se perde nos próprios pensamentos e não vemos o tempo passar. Sugiro que crie uma lista de prioridades pra fazer, assim faz o tempo render melhor.
    Big Beijos,
    Lulu
    BLOG | CANAL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu é uma crônica, fruto de observação também. Eu faço listas a curto prazo, me ajudou bastante. bjs

      Excluir
  4. Você descreveu muito bem a relação do tempo e de sua passagem... Eu sempre tive alguns problemas com isso, sou muito ansiosa e como dizem, estamos sempre preocupadas com o que já passou e principalmente com o que está por vir, assim fica difícil viver no presente e aproveitar cada dia de cada vez.
    Beijos!
    Colorindo Nuvens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Dai! Eu também tenho ansiedade, sei muito bem como é isso. bjs

      Excluir
  5. Me identifiquei com o post e eu sim tenho TOC e mais, também tenho TAG, transtorno de ansiedade exagerada, então posso lhe dizer que me vi em suas palavras. Pouco tempo e muita confusão pra por em ordem.
    Amei seu texto.
    Beijo, www.apenasleiteepimenta.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somos parecidas, talvez seja por isso que se identificou com texto. Sei em como essa realidade. Obrigada Leslie! bjs

      Excluir
  6. Que texto incrível, sério. Nunca me identifiquei tanto com um texto como acabou de acontecer. Eu realmente detesto quando parece que o tempo passa rápido demais e não dou conta de colocar em prática tudo o que planejava para aquele dia. Por isso que às vezes é bom darmos um tempo para as coisas e relaxar. Fuja da sua rotina, esqueça o celular e os ponteiros e aproveite os pequenos detalhes da vida. Te confesso, faz uma diferença enorme, viu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Gabriel! Faz diferença mesmo, hoje tirei uma parte do meu dia pra isso, me joguei na arte da decoração.rsrs Bjs

      Excluir
  7. Eu sou exatamente assim, perco o dia e quando vou ver já está acabando!

    Com amor,
    Bruna Morgan

    ResponderExcluir
  8. Também fico confusa e perdida com o relógio 😁
    Mas sei que as coisas acontecem quando tem que acontecer.

    ResponderExcluir
  9. Linda crônica sobre um dos principais problemas da atualidade: a ansiedade versus o gerenciamento de tempo. Parece que quanto mais nos desesperamos para nos desdobrar em mil e conseguir atender a todos os nossos compromissos, mais nos enrolamos e o tempo nos atropela. Às vezes é preciso parar e respirar no meio do furacão de coisas, né?

    Parabéns pelo texto.

    http://www.metamorphya.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem isso mesmo Amanda, excelente observação. Obrigada! bjs

      Excluir
  10. Gostei da crônica. Me identifiquei com o fato de que às vezes penso que o dia poderia ser mais comprido. Eu tento organizar meu tempo, mas às vezes me enrolo.

    ResponderExcluir
  11. Oi Ciana! Gostei bastante do texto, bem intimista e em forma de desabafo. Eu sou mais ansiosa do que deveria e também tenho uma relação estranha com o tempo, mas às vezes quero simplesmente que o relógio pare.

    Beijos, Vickawaii
    http://www.neverland.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah eu também as vezes quero que ele pare.rsrs bjs

      Excluir
  12. Que texto bacana! Me identifiquei muito com ele! O texto é o que move tudo, ou a falta dele. Por mais momentos em que não vejamos o tempo passar, né? Eu também detesto relógio de pulso e faz muito tempo que não consigo usar.
    Beijos,
    http://www.nomundodaluablog.com/

    ResponderExcluir
  13. Excelente texto!!!! Precisamos mesmo de bons momentos em que o tempo pare! Adorei

    ResponderExcluir
  14. Se o dia tivesse mais de 24 horas tudo seria tão mais fácil... Acho que todo mundo passa por estas crises de falta de tempo... é o mal do nosso século!

    ResponderExcluir



Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *